sábado, 16 de julho de 2016

OuBreCPo (Ouvroir de Brèves de Comptoir Potentielles)

Divulgação da página

Surgidos como mais um "braço" do OuLiPo (Ouvroir de Litératture Potencialle), o OuBreCPo, na tradução "oficina de mini-contos potenciais", dedica-se também a criar ou re-criar métodos literários que presidam a produção dessa forma literária. 

Tais métodos se antepõem à própria história que será contada pelo autor, e pode ser aplicado tanto em oficinas de escrita criativa, para estimular a imaginação de jovens escritores, quanto se tornarem caminhos da criação de artistas, numa equação que inverte a criação tradicional, e que predica que o tema surge antes da forma.

O leitor pode encontrar mais informações sobre os métodos e publicações do grupo aqui (em francês).

Microconto 140 toques: TOC


sexta-feira, 15 de julho de 2016

Técnica Literária: "Portunhol selvagem"

Ideia levada à radicalização criativa, que tem como um dos proponentes o poeta carioca radicado no Paraguai, Douglas Diegues. O "portunhol selvagem" seria uma língua de fronteira, miscelânea de palavras em português e espanhol, com elementos do guarani, do inglês e de outros idiomas.

Mais informações na página de O Globo.

Abaixo, o Manifesto de artistas do Brasil, EUA, Portugal, Paraguai e Argentina, à época de Lula à frente da Presidência no Brasil.

Karta-Manifesto-del-Amor-Amor-en-Portunhol-Selvagem

Esta karta-manifesto aparece, ojerá, brota como flor selbagem del suelo fértil de las playas imaginárias de las noches transnacionales de la kapital mundial de la ficción 2008 em que artistas, músicos, bailarines, actores y escritores se reuniram durante 2 finales de semanas del julio del 2222 nel hermozo Hotel del Lago fundado em 1888 em San Bernardino junto al lago azul de ypakaraí

En aquellas hermozas noches sem trampas llenas de saudades máriopalmerianas em la voz de Lucy Yegros, escribimos la karta-manifesto-salbahem mismo sem haberla escrito
Lo que sigue es uma cópia escrita de la karta-manifesto que ya había sido escrita em pleno 2222 de la kapital mundial de la ficcón 2008
Nosotros poetas y demás artistas reunidos em la kapital mundial de la ficción 2008 escribimos esta carta-manifesto a Lula y a Lugo para pedirles que non deixem de hacer algo que solamente Lugo y Lula lo pueden hacer: QUEMAR EL CONTRATO VIGENTE DE LA ITAIPÚ BINACIONAL. contrato redigido por ditadores em época de ditaduras y que hasta el PRESENTE PRESENTE apenas ha servido para dificultar las buenas relaciones, la integración cultural, política y econômica entre ambos países fronteros desde 1870 hasta el 2008 que nos toca vivir

Después de QUEMAR com fuego guaranítiko, fuego incorruptible, fuego del amor amor, fuego divino, fuego humano, fuego inumano, el mencionado contrato mau de Itaipu Binacional, pedimos a Lugo y a Lula y a Itamaraty que inventem um nuebo contrato que de hecho seja justo y beneficie de fato a ambos países em la mesma medida y si possível escrito em portunhol selvagem, la lengua mais hermoza de la triple frontera, pues que nel portunhol selvagem cabem todas las lenguas del Brasil y del Paraguay (incluso las ameríndias) y todas las lenguas del mundo
Será um gesto de alta voltagem poética humana que ficará para la história como uno de los momentos de gran alta voltagem de la humanidade
¡LULA Y LUGO NON PUEDEN PERDER ESTA MARAVILHOSA OPORTUNIDADE HISTÓRICA-POÉTIKA-FILOSÓFICA DE HACER VOLAR UMA IMAGEM PODEROSA DE AMOR AMOR A TODA LA GLUEBOLÂNDIA!
Después de esse ritual mítico de índole guaranítika, LA QUEIMA & INVENCIÓN DEL CONTRATO DE ITAIPÚ, Lugo y Lula puedem transformar Itaipu em uma usina mucho mais que hidroelétrica, uma usina de arte, de nuebas idéias, de aprendizado filosófico y estético de la vida, um punto de encuentro de artistas, pensadores y creadores de todo el mundo, com uma hermosa biblioteca, algo rarofilamente hermozo nunca visto, um centro de inbención permanente de soluciones a miles de problemas idiotas que el hombre hay creado al hombre...
¡Itaipu non puede mais continuar sendo administrada estilo PAPAI-MAMÃE!
Itaipú non pode continuar sendo apenas uma fonte de lucro mal aproveitado y concentrado em contas bancárias de uma minoria de beneficiados
Kompañeros del nuebo fluir amerikano Lugo y Lula: rediseñemos esa barragem contenedora de corrupción y egoísmo de pokos por um hermozo dike contenedor da esperanza da gente paraguaya y brasileira de todo el mundo y de los que nunca quiseram tener fronteras porque desde sempre estiveron em esta tierra sem mal, los antepassados avás mbyás aches pai-tavyteras tupis ñandevas y tantos otros de los palos cruzados em flor, de los diademas resplandescentes que volaron miles de xamanístikas vezes sobre 7 Quedas, Saltos del Guairá, Kataratas del Yguazú umía kuéra que hasta hoy seguem haciendo sonar suas marakas de las águas bajos las águas, pieles de dioses y diosas dormidas bajo las pieles y kantos de piedras que resuenan em nostros suenhos mais bellos
Itaipu vuelará mejor quando funcione como USINA DE ELETRICIDADE HUMANA, DE FUTUROS MEJORES, DE CULTURA, DE POSTCULTURA, DE TRANSCULTURA, DE TOLERANTE AMOR AMOR A LA VIDA Y A LAS PESSOAS, assim, muy pretensiosamente sem limites
LOS LUCROS MONSTRUOSOS DEVEM SER INVESTIDOS NEL COMBATE AL HAMBRE Y A LA MALA ONDA ECONOMICA Y AL DESENCANTO Y A LA BURRICE Y A LA PARANÓIA GANANCIOSA Y A LA IGNORÂNCIA DESENFRENADA: PERO LO QUE SE OBSERVA HOY DIA ES QUE LOS LUCROS DERIVADOS DE ITAIPÚ BINACIONAL ESTÁN CONCENTRADOS EN BANCOS NACIONALES E INTERNACIONALES
Enquanto el lucro CREA apenas pelos em las bolas mofando em bancos de todo el mundo, perde-se el kalor del MOMENTO MÁXIKO de investir em educación, TRANS-EDUCACIÓN, PÓST-EDUCACIÓN, contra la barbárie de la COBIZA y de la RABIA Y DE LA IGNORÂNCIA associada al lucro y la possesión de bienes y objetos materiales
¡ITAIPÚ PUEDE Y DEBE SER INBENTADA NUEBAMENTE!
¿DELÍRIOS LUNÁTIKOS TRANSNACIONALES DE INDETERMINADAS ORIGENES GALÁCTIKAS DE ALGUNOS ARTISTAS TRIPLEFRONTEROS DEL FUTURO AGORA?
¡HAY LLEGADA LA HORA DE LAS GRANDES FELICIDADES DE TODOS LOS TAMANHOS!
¡HAY LLEGADA LA HORA DE INBENTAR EL NUEBO MUNDO POST-HYSTÓRIKO!
¡HAY LLEGADA LA HORA DE LA TERNURA CALIENTE INVADIENDO KORAZONES Y KORAZONES Y KORAZONES DE TODAS LAS PARTES DE TODAS LAS GALÁXIAS DE TODOS LOS UNIVERSOS!
¡HAY LLEGADA LA HORA DE INBENTAR EL NUEBO MUNDO COM LA ELETRICIDADE DEL AMOR AMOR!
¡EL AMOR AMOR ES SINCERAMENTE SINCERO COMO KATARATAS DEL YGUAZÚ FALA EL ASTRONAUTA PARAGUAYO !
¡ABAJO LA MODA DE LA DEPRESION, DE LA CODIZIA, DEL STRESS, DE LA RÁBIA, DEL KANGUILON, DE LA IGNORÂNCIA, DE LA GUERRA, EL GLAMOUROSO HORROR, DE LA COMÉDIA SANGUINÁRIA!
¡HASTA LOS POMBEROS YASIYATERÊS KURUPÍS Y DEMAIS SERES MITOLÓGICOS DE LAS SELVAS AMERÍNDIAS APOYAM LUGO Y LULA Y EL NUEBO CONTRATO EN PORTUNHOLITO SELVAGEM!
Escribimos esta carta porque todavia amamos
¡NON SOMOS CONTRA NADA!
Avanzamos nomás tranki tranki
PRA FRENXI SEMPRE
el amor amor sem nacionalidades nem globalismos nem sexos nem sexismos nem poder desenfrenado nem lucros depravados
¡LA QUEIMA DEL CONTRATO MAU DE ITAIPÚ BINACIONAL ES EL PUNTO DE PARTIDA PARA LA INBENCIÓN DEL NUEBO MUNDO!
¡Y HAY LLEGADA LA HORA DE LA CARTA-MANIFESTO DEKOLAR AGORA DEL KORAZÓN DEL 2222 Y DEL 2008 A LA VEZ ASTRONAUTICAMENTE DE LA TORRE DE LA TIGREZA AVIADORA DEL HOTELITO DEL LAGO PARA TODAS LAS GALÁXIAS!
¡¡¡¡ZERO, QUATRO, OCHO, ZÁZ!!!!
La carta-manifesto es ya de cada uno que tatue su firma, sua assinaturam, yes amorcito, por supuesto, sem firulas, mais abajo.

Os artistas:
Amarildo Garcia (Domador de Yacarés)
Aurora Bernardini
Carla Fabri
Douglas Diegues
Lucy Yegros
Osvaldo Codas
Cristino Bogado
Diego Brom
Xico Sá
Walther Castelli Júnior
Silvana Nuovo
Ricardo Alvarez
Enrique Collar
Alejandro Vial
Edgar Pou (EL POmbero Tamaguxi)
Fátima E. Rodríguez
Charles A. Perrone- Dept. of Spanish and Portuguese
University of Florida
Jorge Kanese
Guillermo Sequera
Eli Neira
Fátima Pérez C.
Fabian Casas
Alaí Garcia Diniz
Fredi Casco
Verónica Torres
Jorge Britez (Bochin)
Marisa Cubero
Aura Britez
Sérgio Medeiros
Dirce Waltrick do Amarante
Claudio Daniel
Diana Viveros
Susy Delgado

Miguelángel Meza
Luiz Roberto Guedes
Luis Serguilha

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Método literário: "Textos encapsulados"

Esse é de nossa criação, embora consideremos a possibilidade de já ter sido criado por outrem, sob outro nome.

Os "textos encapsulados" consiste em desenvolver parágrafos com certas palavras em seu interior que, juntas, formam um novo texto.

Uma variação são os "parágrafos quadrados", cujas palavras de abertura e fechamento também formariam novos textos.

O importante, naturalmente, é que este, como qualquer método, seja justificado pela própria narrativa, para que forma e conteúdo se imbriquem como elementos indispensáveis para que  o texto, no todo ou em parte, possa ser desenvolvido. Em outras palavras, haja um porque. O leitor que critique o autor que deseje criar a forma para depois criar a história, como sempre foi comum na instituição Crítica literária, desconhece as razões do imaginário, os caminhos da própria imaginação farta do escritor e poeta, que muitas vezes se inspira a escrever algo com uma peça de dominó na mão, que pode tornar-se mote de uma saga completa.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Método Literário: Jogos Onomásticos

Jogos Onomásticos é uma criação oulipiana (Ouvroir de Littérature Potentielle) e consiste em produzir um jogo gráfico-sonoro-semântico com um nome próprio. Assim:

ADILSON
AH! DILSON
AD WILSON
A IL SONNE
A DO SINO
HÁ DE SOM?

HADES WILL'S ON
AIDS IN SON
(...)

Método Literário: Literatura Definicional

Literatura Definicional (Criação do OuLiPo)

Frase de partida:

"A amizade é um amor que nunca morre." (Mário Quintana)

Do Dicionário On-Line Priberam:
AMIZADE: Afeição recíproca entre dois ou mais entes;
AMOR: Disposição dos afetos para querer ou fazer o bem a algo ou alguém;
NUNCA: Em tempo nenhum;
MORRER: Cair em esquecimento.

Frase redefinida:
 

"A afeição recíproca entre dois entes é uma disposição dos afetos para querer ou fazer o bem a algo ou alguém que em tempo nenhum cai em esquecimento".

Método Literário: Liponímia

LIPONÍMIA (evitar certa categoria de palavras):

Original de um texto de Drummond:

"O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar."

Sem os verbos:

"O amor, grande, dentro desta janela sobre o mar. O mar, grande, dentro de uma cama e no colchão de amor. O amor, grande, dentro do breve espaço de um beijo."

Sem os substantivos:

"Amando, engrandece, maritimamente emoldurado. Extenso maramar, enlençoa-se de amar. Amando enormemente, encerra-se ao beijar tão breve."
Etc. etc.

Compartilhe